Silvio Duca segue hospitalizado após confronto por uso notebook na padaria

Barueri
Ferramentas
Tipografia
  • Minuscula Pequena Media Grande Gigante
  • Padrao Helvetica Segoe Georgia Times

Silvio Duca, proprietário do Empório Bethaville, encontra-se atualmente hospitalizado e informou às autoridades sobre sua condição. Até o momento, o empresário não prestou depoimento à polícia em relação à acusação de ter ameaçado um cliente que utilizava um notebook em sua mesa, ignorando o aviso sobre a proibição do uso do espaço para atividades profissionais.

A defesa de Silvio encaminhou à Delegacia Central de Barueri um documento que confirma sua internação no hospital Albert Einstein, onde está passando por exames médicos. Conforme destacado no documento assinado pelos advogados de Silvio, "o peticionário encontra-se hospitalizado desde o início da manhã de hoje (dia 5/2), no Hospital Albert Einstein, onde está em atendimento devido a uma queda ocorrida no final de semana, para realização de exames médicos e avaliação da necessidade, ou não, de procedimento cirúrgico".

O incidente, que ganhou repercussão nacional, foi amplamente divulgado nas redes sociais. O cliente que filmou o ocorrido, enquanto utilizava um notebook na mesa do estabelecimento, registrou uma discussão acalorada com o proprietário do Empório Bethaville. Apesar do aviso de proibição em exposição na mesa, o cliente argumentou que estava consumindo no local. A disputa verbal acabou se desenrolando para fora do estabelecimento, com o proprietário da padaria portando um pedaço de pau, ameaçando o cliente.

Alan Barros, o cliente que foi alvo das ameaças, tem utilizado diversos meios de comunicação para relatar sua versão dos fatos. Tanto ele quanto seu advogado alegam que a padaria removeu os avisos das mesas que proibiam o uso de computadores, o que, segundo eles, constituiria uma admissão de que a regra é ilegal.

Eles também têm criticado a conduta dos policiais presentes no local durante o incidente, alegando que não tomaram nenhuma medida diante das ameaças e tentativas de agressão. Ambos afirmam que pretendem levar o caso à Corregedoria da Polícia Civil, alegando omissão por parte dos agentes.

L10 ADS