Melhores

Grid List

No dia 23 de maio de 2024, o Auditório Jacy Monteiro, localizado no Instituto de Matemática e Estatística da Universidade de São Paulo (IME-USP), será palco do evento OCEAN OPEN DATA. Esta mesa redonda reunirá especialistas em dados marinhos para discutir a importância da colaboração entre Brasil e França no campo da oceanografia.


O OCEAN OPEN DATA tem como objetivo principal fomentar o diálogo e a troca de conhecimentos sobre a utilização e compartilhamento de dados marinhos. Com o avanço das tecnologias de coleta e análise de dados, a colaboração internacional se torna cada vez mais crucial para a compreensão e preservação dos oceanos. Este evento visa destacar as iniciativas conjuntas entre Brasil e França, países que possuem uma longa tradição de cooperação científica.

O evento contará com a participação de renomados pesquisadores e profissionais da área de oceanografia de ambas as nações. Entre os temas a serem discutidos, destacam-se:

  • Tecnologias de Coleta de Dados Marinhos:  Apresentações sobre as mais recentes inovações em equipamentos e metodologias de coleta de dados, incluindo sensores subaquáticos e satélites.
  • Modelagem e Análise de Dados: Discussão sobre as técnicas avançadas de modelagem matemática e estatística aplicadas à oceanografia.
  • Políticas de Compartilhamento de Dados: Debates sobre as políticas e práticas de compartilhamento de dados marinhos entre instituições e países, visando a maximização do uso desses dados para pesquisas científicas e gestão ambiental.
  • Casos de Sucesso de Colaboração Brasil/França: Exemplos práticos de projetos conjuntos que têm gerado resultados significativos na compreensão dos ecossistemas marinhos e no desenvolvimento de políticas de conservação.

A colaboração entre Brasil e França em oceanografia não é nova, mas se intensifica a cada ano, trazendo benefícios mútuos. Os dados marinhos coletados e analisados em conjunto permitem uma compreensão mais ampla dos fenômenos oceânicos globais, como as mudanças climáticas, a biodiversidade marinha e os impactos ambientais das atividades humanas. A troca de informações e tecnologias entre os dois países enriquece as capacidades de pesquisa e promove soluções inovadoras para desafios comuns.

O evento é aberto ao público e espera atrair estudantes, pesquisadores, profissionais da área ambiental e interessados em geral. Para participar, é necessário realizar a inscrição prévia no site do Instituto de Matemática e Estatística da USP.

Data: 23 de maio de 2024
Horário: 14h00 às 18h00
Local: Auditório Jacy Monteiro, Instituto de Matemática e Estatística da USP


Participe deste importante evento e contribua para o avanço do conhecimento sobre nossos oceanos!

Esperamos vê-lo no OCEAN OPEN DATA para juntos explorarmos as fronteiras da ciência marinha e fortalecermos a cooperação internacional em prol da sustentabilidade dos oceanos.

A Fundação de Amparo à Pesquisa do Estado de São Paulo (FAPESP) anunciou uma série de chamadas para o financiamento de projetos de pesquisa em diferentes áreas. As oportunidades abrangem desde a organização de reuniões científicas até bolsas de pós-doutorado e programas de pesquisa em ciências marinhas e oceânicas.

Uma das chamadas em destaque é o "Auxílio à Organização de Reunião Científica: Escola São Paulo de Ciência Avançada", com inscrições abertas até 03/05/2024. Esta iniciativa visa apoiar a realização de eventos científicos avançados na área de ciência e tecnologia.

Outra oportunidade é a chamada de propostas FAPERGS-FAPESP 2023, voltada para pesquisas relacionadas ao agronegócio, agrotecnologia, educação, saúde pública, energia, meio ambiente, desenvolvimento urbano, desigualdade, pobreza e exclusão social. As inscrições podem ser feitas até 24/05/2024.

Além disso, a FAPESP está recebendo propostas para bolsas de pós-doutorado em países menos desenvolvidos, em parceria com a UNESCO-TWAS. O prazo para submissão é até 30/05/2024.

Outras chamadas incluem projetos de pesquisa em inteligência artificial aplicada à saúde, parcerias com a FWO e programas de pesquisa em engenharia agrícola, ciências marinhas e oceânicas, entre outras áreas.

Os interessados em obter mais informações sobre as chamadas e os requisitos de elegibilidade podem acessar o site da FAPESP ou entrar em contato com a instituição diretamente.

Confira todas oportunidades: 

Auxílio à Organização de Reunião Científica: Escola São Paulo de Ciência Avançada

https://espca.fapesp.br/detalhe/chamada/18

Submeter propostas até 03/05/2024

Público e área: Pesquisa / Ciência e tecnologia

Chamada de propostas FAPERGS-FAPESP 2023

https://fapesp.br/16454/chamada-de-propostas-fapergs-fapesp-2023

Submeter propostas até 24/05/2024

Público e área: Pesquisa / Agronegócio e agrotecnologia, educação, saúde pública, energia, meio ambiente, desenvolvimento urbano, desigualdade, pobreza e exclusão social

Chamada de propostas UNESCO-TWAS/FAPESP bolsas de pós-doutorado Least Developed Countries (LDCs)

https://fapesp.br/16499/chamada-de-propostas-unesco-twasfapesp-bolsas-de-pos-doutorado-least-developed-countries-ldcs

Submeter propostas até 30/05/2024

Público e área: Pós-doutorado, o candidato não pode possuir visto de residência temporária ou permanente no Brasil ou qualquer país desenvolvido / Todas as áreas

Chamada de propostas FAPESP para centros de pesquisa em inteligência artificial aplicada à Saúde – 2023

https://fapesp.br/16450/chamada-de-propostas-fapesp-para-centros-de-pesquisa-em-inteligencia-artificial-aplicada-a-saude-2023

Submeter propostas até 03/06/2024

Público e área: Pesquisa, doutorado / Saúde

Chamada de propostas FAPESP e FWO - 2024

https://fapesp.br/16591/chamada-de-propostas-fapesp-e-fwo-2024

Submeter propostas até 04/06/2024

Público e área: Pesquisa / Todas as áreas

Centro de pesquisa em engenharia CITROSUCO – FAPESP em citrus

https://fapesp.br/16420/centro-de-pesquisa-em-engenharia-citrosuco-fapesp-em-citrus

Submeter propostas até 10/06/2024

Público e área: Pesquisa, doutorado / Área agrícola, Área industrial, logística & terminais de operações

Programa CEPID (Centros de pesquisa, inovação e difusão)

https://fapesp.br/16344/programa-cepid-centros-de-pesquisa-inovacao-e-difusao

Submeter propostas até 19/07/2024

Público e área: Pesquisa / Todas as áreas

FINEP

Chamada Globalstars com a rede EUREKA

http://www.finep.gov.br/chamadas-publicas/chamadapublica/734

Submeter propostas até 16/05/2024

Público e área: Financiamento de projetos / Todas as áreas

Pró-infra recuperação Recuperação e atualização de ambientes de pesquisa e equipamentos

http://www.finep.gov.br/chamadas-publicas/chamadapublica/721

Submeter propostas até 10/05/2024

Público e área: Infraestrutura de pesquisa / Todas as áreas

PIVOT

Student research scholarship

https://www.coastalsociety.org.nz/awards/nzcs-awards/

Submeter propostas até 01/05/2024

Público e área: Pesquisa, mestrado e doutorado / Ciências marinhas

Smithsonian marine station postdoctoral fellowship program

https://fellowships.si.edu/opportunity/smithsonian-marine-station-postdoctoral-fellowship-program

Submeter propostas até 01/05/2024

Público e área: Pós-doutorado / Ciências marinhas

Maori and Pacific Island research scholarship

https://www.coastalsociety.org.nz/awards/nzcs-awards/

Submeter propostas até 01/05/2024

Público e área: Pesquisa, mestrado e doutorado / Ciências marinhas

Accelerating adoption of marine sensor innovation

https://www.ukri.org/opportunity/accelerating-adoption-of-marine-sensor-innovation/

Submeter propostas até 02/05/2024

Público e área: Pesquisa / Oceanografia

Establish a flagship UK national clean Maritime research hub

https://www.ukri.org/opportunity/establish-a-flagship-uk-national-clean-maritime-research-hub/

Submeter propostas até 02/05/2024

Público e área: Pesquisa / Ciências marinhas

Simons postdoctoral fellowshipsin marine microbial ecology

https://www.simonsfoundation.org/grant/simons-postdoctoral-fellowships-in-marine-microbial-ecology/

Submeter propostas até 07/05/2024

Público e área: Pós-doutorado / Ciências oceânicas e marinhas

POGO-SCOR visiting fellowships

https://pogo-ocean.org/capacity-development/pogo-scor-fellowship-programme/

Submeter propostas até 15/05/2024

Público e área: Pós-doutorado / Oceanografia

Ecological effects of floating offshore wind (ECOFLOW)

https://www.ukri.org/opportunity/ecological-effects-of-floating-offshore-wind-ecoflow/

Submeter propostas até 16/05/2023

Público e área: Pesquisa / Oceanografia

Working group proposals

https://scor-int.org/work/groups/proposals/

Submeter propostas até 17/05/2023

Público e rea: Pesquisa / Oceanografia

Office of naval research (ONR) global research opportunity: global-X challenge

https://pivot.proquest.com/funding_opps/79c8971c-db23-4d98-945f-d1d75de8f0f3

Submeter propostas até 20/05/2024

Público e área: Pesquisa / Ciências marinhas e militares

Exploitation scientifique des données des infrastructures de recherche (ESDIR)

https://anr.fr/fr/detail/call/exploitation-scientifique-des-donnees-des-infrastructures-de-recherche-esdir-edition-2023/

Submeter propostas até 23/05/2024

Público e área: Pesquisa / Oceanografia

AMS Graduate fellowship in the history of Science

https://www.ametsoc.org/index.cfm/ams/information-for/students/ams-scholarships-and-fellowships/ams-graduate-fellowship-in-the-history-of-science/

Submeter propostas até 24/05/2024

Público e área: Bolsa / Oceanografia e ciências marinhas

Fellowships

https://www.eumetsat.int/eumetsat-fellowship-calls

Submeter propostas até 31/05/2024

Público e área: Pesquisa / Oceanografia

Ship-time programme – ship based training

https://www.marine.ie/site-area/research-funding/research-funding/ship-time-programme-2024

Submeter propostas até 31/05/2024

Público e área: Pesquisa / Oceanografia

Ship-time programme 2024

https://www.marine.ie/site-area/research-funding/research-funding/ship-time-programme-2024

Submeter propostas até 31/05/2024

Público e área: Pesquisa / Oceanografia

COMNAP Antartic Fellowship

https://www.comnap.aq/comnap-antarctic-fellowships

Submeter propostas até 31/05/2024

Público e área: Bolsa / Oceanografia

Ocean Observatories Initiative Facility Board (OOIFB) Administrative Support Office

https://new.nsf.gov/funding/opportunities/nsf-ocean-observatories-initiative-facility-board/nsf24-557/solicitation

Submeter propostas até 10/06/2024

Público e área: Pesquisa / Ciências marinhas e oceânicas

Our Shared Ocean Master’s Degree Scholarships

https://www.marine.ie/site-area/research-funding/research-funding/our-shared-ocean-master%E2%80%99s-degree-scholarships-2023

Submeter propostas até 12/06/2024

Público e área: Pesquisa / Ciências marinhas e oceânicas

UoM/KTH/SU joint research funding

https://www.manchester.ac.uk/collaborate/global-influence/collaborations/manchester-stockholm/

Submeter propostas até 14/06/2024

Público e área: Pesquisa / Oceanografia

Cullen scholarship programme

https://www.marine.ie/site-area/research-funding/research-funding/cullen-scholarship-2023

Submeter propostas até 15/06/2024

Público e área: Pesquisa / Ciências marinhas

Our shared ocean programme – fellowships

https://www.marine.ie/site-area/research-funding/our-shared-ocean-fellowships-2023

Submeter propostas até 23/06/2024

Público e área: Pesquisa / Oceanografia

EuroMarine Fellowships

https://euromarinenetwork.eu/opportunities/euromarine-fellowships/

Submeter propostas até 30/06/2024

Público e área: Pesquisa / Ciências marinhas e oceânicas

Environmental Project grants

https://www.fpa2.org/en/submit-a-project

Submeter propostas até 30/06/2024

Público e área: Pesquisa / Ciências do ambiente

UNOLS cruise opportunity program

https://www.unols.org/unols-cruise-opportunity-program

Submeter propostas até 15/07/2024

Público e área: Pesquisa / Ciências marinhas e oceânicas

Com mais de 90 mil pessoas que diariamente usam o metrô, a Estação Capão Redondo, da Linha 5-Lilás, será palco de uma apresentação artística, a partir das 19h desta quinta-feira (11), do grupo Coral Afro, formado por 25 aprendizes da Fábrica de Cultura Capão Redondo, com canções autorais e de grandes artistas. O Programa da Secretaria da Cultura, Economia e Indústria Criativas do Estado de São Paulo, sob gestão da Poiesis, conta com patrocínio do Instituto CCR e da ViaMobilidade Linhas 5 e 17, concessionária responsável pelo serviço, por meio da Lei de Incentivo à Cultura, para o ano de 2024.

O ateliê Coral Afro existe há um ano na Fábrica de Cultura Capão Redondo, uma das oito unidades que contam com o aporte financeiro, preparando os aprendizes de diferentes idades para uma trajetória artística e pedagógica, por meio de ensinamentos de aquecimento e técnicas vocais diversas, contemplando também a história da cultura afro-brasileira, percussão e expressão corporal. A proposta da apresentação é mostrar para a comunidade o cantar das diversas histórias do povo negro e dissidente, conectado com suas essências e olhar artístico. 

As turmas das Fábricas de Cultura contam com formação semestral, por meio de inscrições no início e meio do ano, em espaços de acesso gratuito e acolhimento criativo para moradores das periferias e de todas as idades. Além de uma oportunidade para ampliar os conhecimentos com atividades livres e formativas no campo artístico e tecnológico 4.0, o Programa garante um novo significado para a vida de muitas pessoas.

"Estava passando por fortes crises de depressão e ansiedade, quando fui encaminhada pelo psicológico para realizar atividades na Fábrica de Cultura. Sempre tive proximidade com a música e, na Fábrica do Capão, pude me reconectar comigo mesma, me redescobrir e vencer  as crises. O ateliê Canto Coral foi  fundamental nesse processo. Ser aprendiz é minha terapia alternativa. Sou muito grata e apaixonada por esse ateliê”, explica Adriana Sousa, 31 anos, que estará presente na apresentação musical na Estação Capão Redondo.

O grupo Coral Afro é uma oportunidade para que os aprendizes possam embarcar em uma experiência de ensinamentos e encorajamento. "Comecei em um momento difícil, onde precisava me concentrar no meu sonho, um  momento pra confiar em mim mesmo. O ateliê me deu mais confiança pra continuar escrevendo sobre minha própria ancestralidade, me respeitando e tendo orgulho de mim mesmo", destaca Vitor Hugo,  25 anos.

Além de Capão Redondo, o patrocínio da ViaMobilidade e Instituto CCR também contemplam as Fábricas de Cultura localizadas no Jardim São Luís (também na zona sul), bairros da zona norte da Capital como Jaçanã, Brasilândia e Vila Nova Cachoeirinha, além de unidades nas cidades como Osasco, Diadema (ambas da Região Metropolitana de São Paulo) e Iguape (no Vale do Ribeira). Para mais informações, acesse o site do Programa para conhecer as iniciativas, a agenda e ficar por dentro das novidades.

O candidato à prefeitura de São Paulo pelo Psol, Guilherme Boulos, deu o ar da graça em Parelheiros nessa quinta-feira (22) acompanhado de sua fiel escudeira, Marta Suplicy (PT). O rolê incluiu uma caminhada seguida de um papo reto, onde Boulos não deixou barato e meteu bronca na gestão do prefeito bolsonarista Ricardo Nunes (MDB), que tá querendo se reeleger. O deputado federal também fez questão de lembrar dos bons tempos em que a Marta tava na parada, sendo a prefeita mais bem avaliada da cidade. "Nesses governos mais humildes, as coisas andavam", mandou ver.

Mas o que mais pegou fogo mesmo foi quando ele chamou o Nunes de "tchutchuca do Bolsonaro". E não parou por aí, não! O Boulos ainda deu aquele toque sobre a possível participação do prefeito numa parada que apoia as tretas golpistas do Bolsonaro, que tá até sendo investigado. "Se ele quiser passar vergonha sozinho, tudo bem, mas botar São Paulo nessa situação é dose", soltou Boulos. E já tão marcando uma manifestação pra apoiar as ideias do Bolsonaro em São Paulo no próximo domingo (25). Que confusão!

E o evento, que reuniu mais de 500 moradores da área, foi só lacração! Boulos não economizou nas críticas pro prefeito, não. Ele mandou ver: "Esse prefeito tá se comportando igual tchutchuca do Bolsonaro, e não como prefeito de São Paulo". E não esqueceu de elogiar a Marta, não. Ele fez questão de destacar os avanços que rolaram durante os governos dela. "Foi nesses tempos que as coisas melhoraram aqui em Parelheiros e nas quebradas", mandou ver Boulos.

E a Marta, toda emocionada, retribuiu os elogios ao Boulos, destacando a parada dele de tá sempre de olho nos mais necessitados. "Eu sinto que o Boulos tá ligado nas paradas dos mais necessitados. Por isso que tamo junto", mandou a ex-prefeita.

E o rolê continuou com o Boulos e a Marta fazendo várias atividades por Parelheiros, incluindo uma visita aos manos do território indígena Tenondé Porã, uma voltinha pelo comércio local e até o plantio de uma muda de cambuci na praça Jornalista Ivan Bertolazzi. E nessa parada toda, além de muita bronca e elogio, o evento destacou a importância de tá na pista pela comunidade. "O que tá em jogo é a comparação entre esse legado e a turma que só pensa nos abastados", fechou Boulos. Essa eleição vai ser um rolo, hein!

O governador Tarcísio de Freitas e o prefeito da capital, Ricardo Nunes, estiveram presentes em um evento em São Paulo, juntamente com o ministro Alexandre de Moraes e outros membros do Supremo Tribunal Federal (STF).

O encontro ocorreu às vésperas de um ato convocado pelo ex-presidente Jair Bolsonaro, na Avenida Paulista, em defesa de si mesmo contra uma investigação conduzida por Moraes sobre suposta tentativa de golpe em 2022. Tarcísio e Nunes confirmaram presença nesse evento pró-Bolsonaro.

Durante o evento, Tarcísio elogiou a Justiça Eleitoral, especialmente após as declarações de Moraes, que preside também o Tribunal Superior Eleitoral (TSE), sobre a confiabilidade das urnas eletrônicas, alvo de críticas por parte de Bolsonaro e seus aliados durante as últimas eleições. O prefeito Ricardo Nunes, por sua vez, preferiu não discursar e permaneceu mais discreto.

O evento marcou também a posse do novo presidente do Tribunal Regional Eleitoral (TRE-SP), o desembargador Silmar Fernandes, e de seu vice, o desembargador José Antonio Encinas Manfré, na sede do Tribunal de Justiça de São Paulo (TJSP), no centro da capital.

Além de Alexandre de Moraes, estiveram presentes os ministros do STF André Mendonça, Cristiano Zanin e Dias Toffoli, todos paulistas, bem como o ex-ministro do STF e atual ministro da Justiça e Segurança Pública, Pública, Ricardo Lewandowski.

O governador Tarcísio de Freitas, sob influência direta do secretário da Segurança Pública, Guilherme Derrite, choca a corporação ao remover abruptamente 34 coronéis da Polícia Militar (PM) de São Paulo, incluindo o segundo no comando da instituição. Ações que, segundo oficiais ativos e da reserva, desencadeiam uma crise sem precedentes.

Em uma reviravolta dramática, postos-chave na PM foram redesenhados na última quarta-feira (21/2), sob a influência indiscutível de Derrite, causando desconforto e inquietação entre os membros da corporação. A decisão repentina, interpretada como um golpe na hierarquia e estabilidade, é vista como um movimento surpreendente e inédito.

As mudanças afetam mais de 30 coronéis, cuja transferência repentina é atribuída a uma suposta oposição aos métodos de policiamento na Baixada Santista e ao apoio ao uso de câmeras corporais pelos policiais. Além disso, a exoneração do subcomandante José Alexander de Albuquerque Freixo, entre outros, levanta sérias questões sobre as intenções por trás dessas mudanças radicais.

As especulações sobre os motivos dessas mudanças intensas alimentam o caos, com muitos questionando se as ações são uma tentativa de consolidar o controle sobre a corporação, removendo vozes discordantes. A falta de transparência e justificativa para essas mudanças exacerbam as preocupações sobre o futuro da instituição.

Enquanto isso, entre os oficiais, surge um sentimento de revolta e desconfiança em relação à gestão do secretário Derrite. Muitos descrevem as ações como irresponsáveis e manipuladoras, enquanto outros temem as repercussões dessas mudanças drásticas na estabilidade e eficácia da PM.

Em meio à turbulência, os impactos dessas decisões permanecem incertos. No entanto, a comunidade da PM, conhecida por sua disciplina e dedicação, enfrenta agora uma crise de confiança sem precedentes em suas lideranças.

A Mocidade Alegre é a vencedora do carnaval de São Paulo de 2024, repetindo o feito do ano passado. Em segundo e terceiro lugares ficaram a Dragões da Real e a Acadêmicos do Tatuapé. 

Com uma homenagem, na avenida, ao Brasil imaginado por Mário de Andrade, a escola de samba Mocidade Alegre desbancou outras 13, com uma nota de 270 pontos, e se tornou a campeã do carnaval de São Paulo, pela 12ª vez. Com 268,7 pontos, a Tom Maior e a Independente Tricolor foram as duas piores colocadas do Grupo Especial e, com isso, farão parte do Grupo de Acesso 1, conforme as regras estipuladas pela Liga Independente das Escolas de Samba de São Paulo.

Este ano, a Mocidade Alegre competia com a Camisa Verde e Branco, Barroca Zona Sul, Dragões da Real, Independente Tricolor, Acadêmicos do Tatuapé, Mancha Verde, Rosas de Ouro, Vai-Vai, Tom Maior, Mocidade Alegre, Gaviões da Fiel, Águia de Ouro, Império de Casa Verde e Acadêmicos do Tucuruvi. 

A Mocidade Alegre foi fundada em 1967 e tem sua quadra no bairro do Limão, zona norte da capital paulista. Atualmente, a presidente da escola é Solange Bichara. 

A escola foi a terceira a desfilar na segunda noite, no sábado (10), no Sambódromo do Anhembi.

Disputa acirrada

Os critérios analisados para fazer a média das notas que define a posição das escolas na lista de classificação são nove: evolução, comissão de frente, fantasia, enredo, samba-enredo, bateria, alegoria, mestre-sala e porta-bandeira e harmonia. Até o penúltimo quesito, a disputa permaneceu acirrada, como é de costume, por diferença de décimos. Alternaram-se no topo da lista escolas como a Mocidade Alegre, Dragões da Real e a Acadêmicos do Tatuapé.

Alguns elementos passaram, muito recentemente, a ter peso maior na avaliação, com uma mudança nas diretrizes dos jurados. Como exemplos, podem ser citadas a letra da música, que agora deve ser menos abstrata e narrar e refletir melhor o tema do enredo, e a qualidade da caixa de som das escolas. 

O anúncio das pontuações dadas pelos jurados é realizado sem a presença do público. O evento fica aberto somente para representantes das escolas, a imprensa e é transmitido ao vivo pela emissora TV Globo. 

Identidade brasileira

O enredo concebido pela escola para este ano é de autoria do carnavalesco Jorge Silveira e do enredista Leonardo Antan e sugere a revisão do conceito de identidade brasileira.

"O ano de 2024 marca o centenário do início da histórica viagem que o poeta fez pelo Brasil profundo, em busca de compor a colcha de retalhos que forma a nossa identidade cultural nacional. Nosso desfile se propõe a abrir o diário de viagem do 'Turista Aprendiz' e percorrer com ele os passos de sua expedição. Junto com Mário, descortinar a riqueza de nossa arte, nosso território e nossa gente", explicou Silveira. 

A Mocidade Alegre é conhecida também como "Morada do Samba”. O termo foi cunhado por um integrante da escola chamado Argeu e resumiu o que o fluminense Juarez da Cruz, o idealizador da escola, planejava para ela, que era manter as portas e a receptividade para qualquer pessoa, independentemente de qualquer origem. 

Jurados se preparam para definir vencedoras e rebaixadas em meio a expectativas e palpites fervorosos no Sambódromo do Anhembi

 

A apuração dos desfiles do Grupo Especial do Carnaval de São Paulo vai rolar nesta terça-feira (13/2), a partir das 16h, no Sambódromo do Anhembi. Mas olha só, a leitura das notas vai ser só para os representantes das escolas, sem público!

A briga pelo título tá pegando fogo! Ninguém teve problemas graves, tipo carro quebrado ou atraso, então tá todo mundo na corrida, sem saber quem vai ganhar ou cair pra grupo de acesso.

Tem escolas que tão chamando atenção! Dragões da Real, Acadêmicos do Tatuapé e Mancha Verde arrasaram no desfile de sexta-feira. Já Mocidade Alegre e Império de Casa Verde tão dando o que falar nos desfiles de sábado.

Mas olha, nem sempre a escola que mais agrada a galera na arquibancada leva o caneco, porque os jurados usam critérios diferentes.

Eles seguem um manual bem detalhado e revisaram os critérios de julgamento no ano passado, contando com a ajuda das escolas.

E esse ano, se houver empate, o quesito de Harmonia que vai decidir!

Além de saber quem leva o caneco, a apuração também vai definir quais escolas vão pro Grupo de Acesso 1 em 2025. Segura essa ordem das notas:


1º – Evolução
2º – Comissão de Frente
3º – Fantasia
4º – Enredo
5º – Samba-enredo
6º – Bateria
7º – Alegoria
8º – Mestre-sala e porta-bandeira
9º – Harmonia

INSERVER TECNOLOGIA

Escola de samba gera polêmica ao abordar questões sociais em desfile, enquanto sindicato critica enredo por suposta difamação da polícia

O Sindicato dos Delegados de Polícia do Estado de São Paulo (Sindpesp) emitiu hoje uma nota de repúdio contra a escola de samba Vai-Vai, alegando que o enredo apresentado no desfile de sábado no Sambódromo do Anhembi, em São Paulo, zombou dos agentes da lei.

A ala "Sobrevivendo no Inferno" foi especificamente mencionada na nota, com destaque para o uso de chifres que simbolizavam um demônio, o que, segundo o Sindpesp, demonizou a polícia e causou "extrema indignação".

O sindicato afirma que o samba-enredo desrespeita as forças de segurança pública, tratando os profissionais de maneira vil e covarde, e lamenta que o Carnaval seja utilizado para transmitir uma mensagem que humilha os agentes da lei.

A Vai-Vai, por sua vez, explicou que o enredo deste ano foi um manifesto crítico sobre a cultura em São Paulo, buscando homenagear artistas marginalizados e excluídos. A escola esclareceu que a ala em questão foi uma homenagem ao álbum "Sobrevivendo no Inferno" dos Racionais MCs, destacando seu impacto na música brasileira e sua abordagem sobre questões sociais da época.

A Vai-Vai argumenta que a ala não teve a intenção de atacar individualmente ou provocar, mas sim de contextualizar o álbum e os eventos históricos da década de 1990 dentro do enredo do desfile, destacando o contexto de marginalização e repressão enfrentado pelo movimento hip hop na época.

A ala "Sobrevivendo no Inferno" da escola de samba Vai-Vai evoca uma poderosa narrativa que vai além do Carnaval, conectando-se profundamente com a história e a realidade social do Brasil. Inspirada pelo icônico álbum homônimo dos Racionais MCs, lançado em 1997, a ala não apenas presta uma homenagem ao legado musical do grupo, mas também resgata os desafios enfrentados pela população marginalizada nas décadas de 1980 e 1990.

Naquele período, o Brasil testemunhou uma intensa efervescência cultural e social, marcada pela emergência do movimento hip hop como uma poderosa expressão artística das periferias urbanas. Os Racionais MCs se destacaram como porta-vozes dessa realidade, abordando de maneira crua e contundente as questões sociais, políticas e raciais que permeavam as comunidades negras e periféricas.

 

"Sobrevivendo no Inferno" não foi apenas um álbum de sucesso comercial; foi uma cápsula do tempo que capturou a essência e as lutas daquele momento histórico. Suas letras penetrantes e sua crítica social profunda ecoaram nas ruas, desafiando as normas estabelecidas e dando voz àqueles que eram marginalizados e oprimidos.

Ao incorporar elementos desse legado em seu desfile de Carnaval, a Vai-Vai não apenas celebra a contribuição dos Racionais MCs para a cultura brasileira, mas também reafirma o papel do samba como uma forma de resistência e protesto. A ala "Sobrevivendo no Inferno" é mais do que uma performance artística; é um testemunho vivo da resiliência e da luta por justiça social que ecoa através das gerações.

Portanto, ao invés de um simples entretenimento, a ala se torna uma plataforma para o diálogo e a reflexão sobre as injustiças persistentes na sociedade brasileira, destacando a importância de reconhecer e confrontar os desafios enfrentados pelas comunidades marginalizadas. Em última análise, ela representa uma afirmação poderosa da identidade e da cultura das periferias, reafirmando sua presença e sua voz no cenário nacional.

 

Acidente com carreta ocorreu na manhã desta segunda-feira (12/2) em trecho da Dutra na região de Queluz (SP); ninguém ficou ferido

Uma carreta tombou na manhã desta segunda-feira (12/2), pegou fogo e interditou por mais de três horas a pista da rodovia Presidente Dutra sentido do Rio de Janeiro, na região de Queluz, no interior paulista. Ninguém ficou ferido.

Segundo a Polícia Rodoviária Federal (PRF), o acidente ocorreu por volta das 6h20 e o trecho foi totalmente liberado por volta das 9h35. A pista no sentido São Paulo também chegou a ficar interditada até que o incêndio fosse controlado. O veículo transportava 24 toneladas de enxofre.

Por volta das 10h, segundo a CCR RioSP, concessionária que administra a rodovia, o tráfego ainda era intenso no trecho, com cinco quilômetros de congestionamento no sentido Rio, entre os Km 18 e 13.

O governo liderado por Tarcísio de Freitas (Republicanos-SP) tomou a decisão de remover Ângelo Martins Denicoli, um major da reserva, de seu cargo na Prodesp, uma empresa de tecnologia. Denicoli estava entre os alvos de uma operação recente da Polícia Federal, que visa investigar a possível conspiração de um golpe de Estado em 2022. Segundo informações do Portal da Transparência, ele recebia cerca de 28 mil reais por mês, líquidos.

O ministro Alexandre de Moraes, do Supremo Tribunal Federal, em sua autorização para a ação da PF, fez referência às transmissões ao vivo contendo notícias falsas sobre as urnas eletrônicas, conduzidas pelo argentino Fernando Cerimedo.

De acordo com as investigações, conduzidas pelo magistrado, houve uma identificação de uma conexão entre o major Denicoli e Fernando Cerimedo, visando disseminar informações falsas sobre o sistema eleitoral do Brasil.

Denicoli foi identificado como parte de um dos grupos considerados criminosos pela PF, especificamente o "Núcleo de desinformação e ataques ao sistema eleitoral".

Anteriormente, o militar ocupava a posição de assessor especial na Companhia de Processamento de Dados do Estado de São Paulo. A Prodesp confirmou no sábado, dia 10, que Denicoli foi afastado de suas funções.

De repente, um grupo de músicos tocando mariachi entra no MIS Experience, na região da Água Branca, na zona oeste de São Paulo. Com churros nas mãos, que foram distribuídos no início do evento, os convidados se emocionam com a música cantada: “Que bonita sua roupa. Que roupinha mutcho louca...”

Os versos invadem o espaço e o coração de uma legião de fãs brasileiros que assistiram ao seriado mexicano Chaves, que foi exibido por muitos anos na TV aberta. Série que agora é celebrada pelo MIS Experience com uma grandiosa exposição, aberta ao público na tarde de sexta-feira (5).

A mostra Chaves: A Exposição comemora os 40 anos de estreia do seriado no Brasil. Apesar de Chaves (El Chavo del Ocho, como era chamado no México) ter sido criado em 1971 por Roberto Bolaños (que também era seu intérprete), sua exibição em solo brasileiro só teve início em agosto de 1984. Depois disso, foram 36 anos de exibição ininterrupta, atraindo gerações de aficionados.

São Paulo (SP), 05/01/2024 - José Maria Pereira Lopes, relações públicas do MIS, participa da abertura da mostra Chaves: A Exposição, que comemora os 40 anos de estreia do seriado no Brasil, no MIS Experience. Foto: Rovena Rosa/Agência Brasil
José Maria Pereira Lopes, relações públicas do MIS, é um dos fãs do seriado Chaves no Brasil - Rovena Rosa/Agência Brasil

Quem se lembra dessa primeira exibição do seriado no Brasil é José Maria Pereira Lopes, 74 anos, que é relações públicas do MIS, em São Paulo. Ele, que já trabalhou em diversas emissoras brasileiras, era contratado do SBT quando o seriado começou a ser exibido.

“O Chaves foi um sucesso maravilhoso, como vai ser essa exposição. Foi um sucesso porque não havia nada como ele na televisão. Todo mundo assistia ao Chaves, tanto adultos quanto crianças”, disse ele à Agência Brasil, durante visita à mostra. “A exposição está linda. Todo mundo tem que aproveitar essa oportunidade que o MIS está dando”, disse.

Lopes guarda, em VHS, um dos episódios do Chaves. “Tem um episódio guardado comigo há quase 40 anos. Está guardado na minha casa, em uma caixinha azul”, contou. “Não vejo nada hoje como foi o Chaves. Ninguém faz nada igual a isso. Hoje a TV não tem mais esse tipo de humorista.”

Outra pessoa que se recorda do início dessa exibição no Brasil é Cecília Lemes, dubladora da personagem Chiquinha. “Nenhum de nós [dubladores] tinha essa ideia do sucesso que o Chaves iria fazer [no Brasil]. Logo fomos percebendo a geniosidade do Roberto Gómez Bolaños. Isso foi tomando corpo e foi um sucesso”, disse ela, ao visitar a exposição nesta sexta-feira. “Hoje, aqui na exposição, foi um grito após o outro de tanta emoção ao entrar em cada uma dessas salas.”

Pois é, pois é, pois é

Chaves: A Exposição é a maior mostra em homenagem ao seriado já feita no mundo. Ela reconstrói mais de 20 cenários emblemáticos que fizeram parte da vida de milhões de espectadores e apresenta a vida e a obra de seu criador, o escritor Roberto Gómez Bolaños, conhecido como Chespirito.

Além da tradicional Vila do Chaves e das casas do seu Madruga e da dona Florinda, o visitante poderá se surpreender com um cenário que recria a sala da casa da Bruxa do 71, ambiente que apareceu em um único episódio da série, dentro do imaginário de Chaves.

São Paulo (SP), 05/01/2024 - Mostra Chaves: A Exposição, que comemora os 40 anos de estreia do seriado no Brasil, no MIS Experience. Foto: Rovena Rosa/Agência Brasil
Exposição no MIS recria cenários do seriado Chaves - Rovena Rosa/Agência Brasil

Também não foi deixado de lado um dos episódios mais conhecidos e preferidos dos fãs: o de Acapulco. O restaurante de dona Florinda também conta com uma sala especial.

“[A sala da Bruxa do 71] era a mente da criança, do Chaves, imaginando como seria a casa dela se ela fosse uma bruxa mesmo. Recriamos o cenário igualzinho ao episódio da época, de 1975”, destacou João Victor Trascastro, um dos curadores e consultores da exposição e integrante do Fórum Chaves. “É a maior exposição do Chaves já realizada no mundo, totalmente original, com mais de mil metros quadrados, 26 ambientes e ‘tudo friamente calculado’, como diria o Chapolin Colorado”, brincou.

A exposição apresenta ainda figurinos originais utilizados no seriado, como a famosa bermuda de Chaves, acompanhada por uma frases escrita em caneta. “Este es el primer pantalon que usó el Chavo del Ocho. Testimonhos: Chapolin Colorado, Chavo, El Profesor Jirafales”, e outros.

Há também roteiros e itens originais trazidos do México exclusivamente para a mostra. A curadoria, explicou Trascastro, levou dois anos de planejamento. “Felizmente tivemos o apoio do Grupo Chespirito, que é a família detentora dos direitos da marca Chaves e Chapolin. Eles nos cederam os itens originais.”

"Sigam-me os bons"

Além de Chaves, a exposição traz ainda objetos e cenários de outra série produzida por Bolaños e que também tem uma legião de fãs brasileiros: Chapolin Colorado.

São Paulo (SP), 05/01/2024 - Mostra Chaves: A Exposição, que comemora os 40 anos de estreia do seriado no Brasil, no MIS Experience. Foto: Rovena Rosa/Agência Brasil
Mostra também reúne objetos e cenários do seriado Chapolin Colorado - Rovena Rosa/Agência Brasil

Entre os objetos originais que são apresentados na exposição estão a marreta biônica, as anteninhas de vinil, a corneta paralisadora e as pílulas de nanicolina, que eram utilizadas por Chapolin.

Nem mesmo a cena de abertura da série no Brasil, com os corações coloridos, ficou de fora da mostra. “Também criamos outros ambientes, como o Chapolin no velho oeste e a parte espacial”, disse João Victor Trascastro.

Tudo isso acompanhado, ao fundo, por vozes dos personagens e músicas que tocavam nos seriados.

Segundo o curador, a exposição busca mostrar por que os dois seriados conquistaram tantos brasileiros. “Acredito que a genialidade do texto do Chespirito seja o ponto mais alto. Ele conseguiu fazer, na década de 70, um roteiro que fosse atemporal. A gente consegue absorvê-lo hoje sem ficar limitado a datas ou personalidades da época”, disse ele.

Exibição

Hoje, o seriado não está mais disponível nem na TV aberta nem no streaming. Mas há uma possibilidade de que ele volte a ser exibido no Brasil. Quem afirma isso é Roberto Gómez Fernández, filho de Bolaños. “Para mim, uma das tarefas mais importantes é fazer com que a série original regresse. Isso é algo que tenho como tarefa presente nos meus dias e espero que em breve isso seja solucionado.”

São Paulo (SP), 05/01/2024 - Roberto Gómez Fernández, filho de Roberto Bolaños, participa da abertura da mostra Chaves: A Exposição, no MIS Experience. Foto: Rovena Rosa/Agência Brasil
Roberto Gómez Fernández, filho de Roberto Bolaños, participa da abertura da mostra Chaves: A Exposição - Rovena Rosa/Agência Brasil

Fernández esteve na manhã desta sexta-feira no Brasil para acompanhar a abertura da exposição e se declarou emocionado. “Este é um dia muito especial para mim e para a minha família. A verdade é que essa é a manifestação do legado de Roberto Bolaños mais importante que já foi feita”, disse ele. “Realmente ela [a exposição] superou minhas expectativas”, acrescentou.

Quem acompanhou a visita de Fernández à exposição foi a secretária estadual da Cultura, Economia e Indústrias Criativas de São Paulo, Marilia Marton. “Acho que o Chaves perpassa gerações. A minha geração vivenciou demais o Chaves. Ele chegou na década de 80, mas temos ele ainda muito presente no nosso imaginário. Eu realmente acompanhei Chaves e Chapolin durante toda a minha infância e juventude. Brincamos que temos até trejeitos do Chaves: é isso, isso, isso… Pi, pi, pi,pi”, brincou ela, em entrevista à Agência Brasil.

Para a secretária, a expectativa é que a exposição atraia um grande público ao MIS Experience, principalmente por ter sido aberta em período de férias e por contar com uma rede de transporte especial: há um ônibus gratuito, todo enfeitado com imagens da exposição, que sai do Terminal Turístico da Barra Funda a cada meia hora.

Os ingressos para Chaves: A Exposição já estão à venda no site www.expochaves.com.br. Às terças-feiras, a entrada é gratuita e o ingresso deve ser retirado, exclusivamente, na bilheteria física do MIS Experience, no dia da visita (sujeito à lotação).

L10 ADS