Corridas de Barueri: ponto de encontro de todas as tribos - L10 NOTÍCIAS

Esporte
Ferramentas
Tipografia
  • Minuscula Pequena Media Grande Gigante
  • Padrao Helvetica Segoe Georgia Times
Estrela inativaEstrela inativaEstrela inativaEstrela inativaEstrela inativa
 

Barueri possui uma vocação tradicional para os eventos esportivos. As equipes de corrida sempre comparecem e montam suas tendas e disponibilizam água, suco e frutas para os seus integrantes.

Algumas mais organizadas têm cadeiras para descanso e até cadeira de quick massage e um profissional da área para dar assistência. Nessas ocasiões, as famílias interagem e os amigos se reencontram.

Neste domingo, dia 26, ocorreu a segunda etapa do Circuito de Corridas Todos contra o Câncer nas imediações do Ginásio Poliesportivo José Corrêa e alguns participantes se destacaram. 

Aposta em que todos ganham

Laércio Aversani, de 48 anos, morador de Pirituba, na Capital, não participou da corrida, mas estava de braços abertos na linha de chegada para esperar o pai, Laerte, serralheiro aposentado de 74 anos.

“Meu pai bebia e eu não gostava. Fizemos uma aposta que se ele parasse, eu iria inscrevê-lo em algumas provas. Ele começou a correr este ano. Foi a quinta vez que ele participou. Está dando certo”, comemora.  “Fiz a prova de 5 km em 38 minutos. Tá bom”, festeja o veterano-iniciante. A esposa de Laerte e a filha também compareceram para apoiar. 

Família unida

Dona de casa em Itapevi, Dometila Aparecida Ribeiro Araújo, de 32 anos, participou da prova com a pequena Dandara, de um ano e quatro meses no carrinho de bebê. Hebert Deia Araújo, de 39 anos, o marido, e o filho Pietro, de oito anos, também participaram e ganharam medalhas.

Inclusão

Izael Vieira Ramos, 44 anos, massoterapeuta, morador do Jardim Belval, largou para a prova dos cinco km um pouco antes dos demais participantes. Ele possui deficiência visual e teve seu amigo Hélio Júnior como guia. A Secretaria de Esportes permitiu a largada de pessoas com deficiência com antecedência.

“Eu corro há 17 anos. Já participei de seis São Silvestres e de três São Silveiras. É bom demais”, afirma Izael, que é casado com Vanessa Santos Vieira, que também possui deficiência visual, mas não corre desde que a pandemia de Covid-19 surgiu. Izael comanda o canal “Resenha de Cego” no YouTube.

Celebração do último lugar

Centenas de mulheres participaram da prova, mas nenhuma foi tão celebrada como Suzy Menezes, moradora do Jardim Silveira, servidora municipal de Barueri aposentada, que começou a correr há quatro anos e já disputou 25 provas.

A poucos metros de cruzar a linha de chegada, um motociclista da organização se fez de batedor e começou a buzinar freneticamente. Todos começaram a aplaudir e ela terminou a prova dos 10 km em 1h22min. Excelente resultado: “frequento academia há vários anos e minha família me apoia. Eu melhorei da coluna depois que comecei a correr”, conta.

 

 

Anúncio

Clique e peça a sua!

 

Da redação
Foto: Divulgação